156 Acesso àInformação

Eventos

Eventos

Business Round discute Marco Legal das Startups na próxima terça

A edição de junho do Business Round, na próxima terça-feira (22/6), às 19h, vai discutir o Marco Legal das Startups. Sancionada este mês pelo governo federal, a nova lei estabelece as diretrizes para o poder público e medidas de fomento ao ambiente de inovação do país. Todas regulações previstas no Marco Legal das Startups serão discutidas […]

compartilhe

A edição de junho do Business Round, na próxima terça-feira (22/6), às 19h, vai discutir o Marco Legal das Startups. Sancionada este mês pelo governo federal, a nova lei estabelece as diretrizes para o poder público e medidas de fomento ao ambiente de inovação do país.

Todas regulações previstas no Marco Legal das Startups serão discutidas por especialistas no evento on-line gratuito, que terá a mediação de Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação. Estão confirmados para o debate o investidor Anderson Godz, fundador da Gonew.Co e GooDz Capital; Rhodrigo Deda Gomes, advogado e presidente da Comissão de Inovação e Gestão da OAB/PR, e o Tulio Severo Jr, head de Inovação da Federação da Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap).

O Business Round – Start Law será transmitido ao vivo pelo canal do Youtube  do Vale do Pinhão.

“A sanção do Marco Legal das Startups é de extrema importância para o ecossistema de inovação de Curitiba. Conceitua juridicamente o que é uma startup, estabelece tratamento diferenciado e positivo para elas e, assim como a Lei de Inovação de Curitiba, traz segurança jurídica para empreendedores e investidores”, afirma Cris Alessi.

Lei de Inovação

A presidente da Agência Curitiba lembra que, em 2018, o prefeito Rafael Greca sancionou a Lei de Inovação de Curitiba, que traz um arcabouço jurídico para a atuação do poder público na área de inovação.

“A Lei de Inovação de Curitiba tem contribuído, nos últimos três anos, para que o Vale do Pinhão promova um novo desenvolvimento sustentável de toda Curitiba”, observa Cris.

Ela conta que a lei prevê que o município poderá investir em startups, em ações similares às de investimento-anjo ou com fundos de investimento.

“A Lei de Inovação ainda estabeleceu a criação do Conselho Municipal de Inovação em Curitiba, que vem estabelecendo as diretrizes para diminuir a burocracia e incentivar o relacionamento entre todo o ecossistema de inovação”, acrescenta Cris.

NOTÍCIAS RELACIONADAS