156 Acesso àInformação

Programas em ação

Programas em ação

Curitiba fica na 2ª posição no Brasil em ranking de ecossistemas de startups

Curitiba conquistou este ano a 2ª posição nacional no Startup Ecosystem Index Report 2021, ranking global que aponta os melhores ecossistemas para surgimento e crescimento de empresas de base tecnológica. Na América do Sul, a capital ficou na sexta posição, à frente de cidades como Montevidéu, Assunção, Medelin e Córdoba. Em primeiro lugar no país […]

compartilhe
O Ebanx é líder em serviços de processamento de pagamentos de compras. Foto: divulgação

Curitiba conquistou este ano a 2ª posição nacional no Startup Ecosystem Index Report 2021, ranking global que aponta os melhores ecossistemas para surgimento e crescimento de empresas de base tecnológica. Na América do Sul, a capital ficou na sexta posição, à frente de cidades como Montevidéu, Assunção, Medelin e Córdoba. Em primeiro lugar no país ficou São Paulo.

O ranking é realizado pela StartupBlink, centro de pesquisa referência internacional e responsável pelo mapeamento em 1.000 cidades em 100 países, que avalia os ecossistemas de inovação para startups em todo o mundo em quesitos como ambiente de inovação, de negócios e qualidade das empresas de tecnologia.

O ecossistema de startups de Curitiba se destaca, segundo o estudo internacional, em segmentos como comércio eletrônico/varejo, transportes e finanças. Os dois primeiros unicórnios curitibanos e do Sul do Brasil, inclusive, atuam diretamente ou estão ligados a alguns desses segmentos. O Ebanx é líder em serviços de processamento de pagamentos de compras e o MadeiraMadeira é a maior plataforma de produtos para casa da América Latina. Ambos passaram a ter o status de unicórnio após serem avaliados em US$ 1 bilhão.

O Startup Ecosystem Index Report faz o ranking dos melhores ecossistemas para startups a partir de algoritmos que analisam dezenas de milhares de dados em startups, aceleradoras e espaços de coworking listados no mapa do ecossistema de inicialização global StartupBlink, bem como dados recebidos dos parceiros globais, como Crunchbase e SimilarWeb. Por fim, o StartupBlink aproveita os dados coletados de mais de 50 mil membros em toda a comunidade Global StartupBlink.

“À medida que o mundo inova sua saída de uma pandemia devastadora, está claro o surgimento de uma nova realidade. Tendências como e-commerce e trabalho remoto foram aceleradas numa velocidade sem precedentes, nos impulsionando a um futuro inevitável em que nossa presença digital é, em alguns momentos, mais dominante que nossa presença física. Estar num grande ecossistema vai render dividendos na forma de encontros com pessoas influentes que podem transformar seu negócio ou sua carreira”, destaca Eli David, CEO da StartupBlink.

O estudo aponta também o Ebanx como uma das três startups “notáveis” do Brasil, ao lado do Nubank e iFood. Localmente, três startups da capital são consideradas “notáveis”: Contabilizei, Bcredi e Vhsys. As duas primeiras integram o Tecnoparque, programa municipal que oferece redução de ISS para empresas que investem em inovação e empregos. Também integram o Tecnoparque startups como MadeiraMadeira, Olist, Doctoralia, Hilab, Checkmob, Juno, James Delivery, Direção, Horizons, Rentcars, Send4, Anthor, Omnichat e BrBatel.

LEIA TAMBÉM

Ambiente amigável

“Curitiba tem tudo que um ecossistema de startups vibrante necessita”, afirma Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação. Ela cita a consolidação nos últimos quatro anos do Vale do Pinhão, o movimento de todo o ecossistema de inovação para transformar a capital em referência em desenvolvimento econômico sustentável, a força de trabalho altamente qualificada, universidades referências nacionais, diversidade de indústrias, empreendedores na busca constante de novos produtos e serviços e parceiros públicos e privados profundamente engajados.

Também ajudaram a fomentar o ambiente de startups de Curitiba várias iniciativas da Prefeitura como a abertura dos Worktibas, os primeiros coworkings públicos do país e a retomada de programas municipais como o Tecnoparque e o Bom Negócio, de capacitação de empreendedores para atividades de alto impacto.

Engenho da Inovação: um dos espaços de fomento do ecossistema de Curitiba. Foto: Cesar Brustolin/SMCS

“Desde 2018, quando o Tecnoparque foi relançado pelo prefeito Rafael Greca, mais de R$ 162 milhões ficaram nos caixas das empresas beneficiadas pelo programa, que estão reinvestindo nos próprios negócios. Já o Bom Negócio está mudando o mindset dos empreendedores, pois preparou desde 2017 mais de 4,4 mil pessoas para um novo olhar sobre gestão empresarial, com foco principalmente, no mundo digital”, salienta Cris.

Evolução global

Globalmente, Curitiba aparece na 144ª posição no Startup Ecosystem Index Report 2021. Após um salto de 39 posições, a capital está atrás apenas de São Paulo, que ficou em 1º lugar no país e 20º no mundo. O Rio de Janeiro caiu 55 posições, passando a ocupar o 3º lugar nacional e 148º globalmente. Da mesma forma, Belo Horizonte, 5ª nacional, registrou queda de 53 vagas para 154º globalmente. Na 5ª posição nacional, Porto Alegre subiu 12 posições para 188ª no ranking mundial. Na América do Sul, Curitiba subiu três posições.

Desde o início da gestão do prefeito Rafael Greca, Curitiba conquistou vários reconhecimentos nacionais e internacionais como ecossistema amigável para empreendedores e startups, bem como de cidade inteligente. Só este ano a capital foi eleita a mais empreendedora do Brasil, segundo o Ranking Connect Smarted Cities 2021. Além disso, Curitiba é finalista com o Vale do Pinhão do Latam Smart City Awards, premiação do México que celebra iniciativas para tornar as cidades latino-americanas mais inteligentes. O vencedor será conhecido no dia 6 de outubro.

Outros prêmios e reconhecimentos de Curitiba e do Vale do Pinhão desde 2017

  • Connected Smart Cities 2018 – Primeiro lugar no ranking entre as cidades mais inteligentes do Brasil no estudo da consultoria Urban Systems.
  • Latam Smart City Awards 2018 – Primeiro lugar com o aplicativo Saúde Já, na categoria Transformação Digital, durante evento em Puebla (México).
  • Intelligent Community Forum (ICF) 2019 e 2020 – Uma das 21 comunidades mais inteligentes do mundo, pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o ranking do IFC.
  • World Smart City Awards 2019 – Uma das seis cidades mais inteligentes do mundo, na categoria Ambiente Urbano, durante Smart City World Congress, em Barcelona (Espanha).
  • Latam Smart City Awards 2019 – Vale do Pinhão entre os finalistas do prêmio que ocorre no México.
  • 12º Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável (2019) – Worktibas foram vencedores.
  • Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019 – Certificação para os Worktibas.
  • Congresso Sesi ODS 2019 – Selo Sesi ODS para o Worktiba. Selo Sesi ODS para a Agencia Curitiba.
  • Prêmio Cidades Sustentáveis 2019 – 2º lugar para o Programa Empreendedora Curitibana (categoria médias e grandes cidades).
  • Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor 2019 – A capital recebeu o prêmio, na categoria Cooperação Intermunicipal para o Desenvolvimento Econômico, com o projeto Programa de Desenvolvimento Produtivo Integrado da RMC (Pró-Metrópole).
  • The Global Startup Ecosystem Report 2020 – Curitiba figurou pela primeira vez no Top 100 Ecossistemas Emergentes do mundo do Startup Genome.
  • Wellbeing Cities Award  2020 (Prêmio Cidades de Bem-Estar 2020) – Vencedor na categoria “Construindo uma economia urbana vibrante”, da premiação criada pela NewCities, organização sem fins lucrativos global com sede no Canadá.
  • Tech Report 2020 – Curitiba conquistou o título de cidade com a maior produtividade e eficiência do setor de tecnologia do Brasil em 2020, segundo o relatório anual Tech Report, divulgado pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), um dos órgãos mais respeitados do segmento no país.
  • Cidades Amigas da Internet 2020 – Curitiba saltou 20 posições para ocupar o 5º lugar no ranking brasileiro Cidades Amigas da Internet 2020 graças a iniciativas como o decreto municipal de implantação das Estações de Transmissão de Radiocomunicação (ETRs) e instalação de antenas de telefonia e telecomunicações em propriedades particulares, fundamental para a chegada da  futura tecnologia 5G na capital.

NOTÍCIAS RELACIONADAS