156 Acesso àInformação

Programas em ação

Programas em ação

Curitiba integra força-tarefa para reduzir crise econômica com covid-19

Curitiba integra a força-tarefa do C40, rede mundial de cidades que busca soluções para problemas decorrentes das mudanças climáticas, para reduzir os impactos econômicos no mundo decorrentes da pandemia do novo coronavírus. A ação conjunta internacional foi anunciada, nesta quarta-feira (15/4), durante reunião por videoconferência de prefeitos que integram o grupo das cidades mais importantes do […]

compartilhe
O prefeito Rafael Greca foi acompanhado na reunião pelo secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur; e o chefe de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó. Foto: Hully Paiva/SMCS

Curitiba integra a força-tarefa do C40, rede mundial de cidades que busca soluções para problemas decorrentes das mudanças climáticas, para reduzir os impactos econômicos no mundo decorrentes da pandemia do novo coronavírus. A ação conjunta internacional foi anunciada, nesta quarta-feira (15/4), durante reunião por videoconferência de prefeitos que integram o grupo das cidades mais importantes do mundo.

As primeiras ações da força-tarefa serão definidas nos próximos dias, mas Curitiba desde já está participando de uma troca de informações e experiências.

O prefeito Rafael Greca participou da reunião on-line e afirmou que Curitiba vai contribuir com a força-tarefa compartilhando com as demais cidades iniciativas como a criação do Fundo Anticrise. O projeto inédito no país foi criado no ano passado e está em tramitação na Câmara Municipal, mas o dinheiro a ele destinado já estava reservado e poderá ser usado agora na crise do coronavírus.   

“O Fundo Anticrise nasceu justamente para proteger, por exemplo, os gastos sociais, que sempre são afetados em períodos de severas crises, como a que temos agora”, explicou Greca.

O prefeito lembrou ainda que, desde o surgimento do novo coronavírus, a Prefeitura de Curitiba tomou uma série de ações para diminuir o impacto da doença na população curitibana.

“A partir daí o trabalho foi crescente, incluindo reorganização da rede de saúde do município, contratação de 428 profissionais, articulação com a sociedade civil, produção própria de máscaras de proteção no FabLab, campanhas educativas para população e distribuição de alimentos para estudantes carentes”, enumerou ele.

O encontro foi aberto pelo prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, atual presidente do C40, que agradeceu a mobilização das cidades integrantes do grupo para reduzir os impactos negativos do novo coronavírus.

“Esta cooperação internacional será fundamental para que possamos passar por essa crise o mais rápido possível”, afirmou ele.

Experiências

Em seguida, foram expostas as ações adotadas por Milão (Itália) e Singapura durante a pandemia do vírus.

“Estamos trabalhando com três fases: o lockdown (quarentena), com fechamento total, que está ocorrendo neste momento; a reabertura gradativa dos serviços não essenciais, a partir de maio; e o apoio à recuperação econômica”, salientou Giuseppe Sala, prefeito da cidade italiana.

De acordo com o diretor de Comunicados de Doença do Ministério da Saúde de Singapura, Vernon Lee, o país tem enfrentado a pandemia com ações coordenadas.

“Além dos controles sanitários em aeroportos, por exemplo, o governo tem realizado testes exaustivos em cada caso suspeito, vem localizando qualquer pessoa em contato com um caso confirmado e até criou hospitais em que os pacientes só saem depois de completamente curados da covid-19”, enumerou ele.

Inicialmente formado por 40 cidades em torno do mundo com interesses comuns de sustentabilidade, o C40 é composto atualmente por 96 cidades. Destas, 27 contaram com seus representes na videoconferência, que dará base para o documento que irá condensar as experiências relatadas e será distribuído aos membros do grupo.

O prefeito Rafael Greca foi acompanhado na reunião pelo secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur; e o chefe de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó.

“Curitiba assume novamente um papel de protagonismo internacional, desta vez durante a crise de saúde pública. A cooperação multilateral que o C40 nos traz é fundamental para uma resposta global à crise, que Curitiba hoje ajudou a construir”, afirmou Feijó.

NOTÍCIAS RELACIONADAS