156 Acesso àInformação

Programas em ação

Programas em ação

Curitiba vai testar tecnologia inédita de rede inteligente 5G no começo de 2022

Curitiba é a única capital e cidade com mais de 500 mil habitantes do Brasil que irá testar uma tecnologia inédita que permitirá a implementação de redes inteligentes de 5G até o fim do primeiro trimestre de 2022. A capital paranaense foi escolhida para integrar o projeto piloto Conecta 5G, lançado na noite de quinta-feira (16/12) […]

compartilhe
Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba, ao lado do ministro das Comunicações, Fábio Faria (de boné), e demais autoridades. Foto: Divulgação

Curitiba é a única capital e cidade com mais de 500 mil habitantes do Brasil que irá testar uma tecnologia inédita que permitirá a implementação de redes inteligentes de 5G até o fim do primeiro trimestre de 2022. A capital paranaense foi escolhida para integrar o projeto piloto Conecta 5G, lançado na noite de quinta-feira (16/12) pelo Ministério das Comunicações e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

A quinta geração das redes móveis (5G) trará muitos benefícios para a população e as empresas, como conexões 100 vezes mais rápidas que o 4G, comunicações sem atrasos e novos serviços de cidades inteligentes.

Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, representou o prefeito Rafael Greca no lançamento do Conecta 5G, em Natal (RN). O evento também teve a presença do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do presidente da ABDI, Igor Calvet. 

O projeto piloto tem patrocínio da ABDI e irá permitir que Curitiba e outras quatro cidades participantes instalem uma tecnologia que integra antenas 5G a luminárias públicas inteligentes, sendo uma solução à necessidade de elevado número de antenas para que a tecnologia 5G opere nas cidades.

A tecnologia que será testada em Curitiba, na prática, transforma as lâmpadas de iluminação pública em antenas de celular que espalham como Wi-fi o sinal do 5G.

Como a gestão da iluminação pública é municipal, as prefeituras poderão inclusive gerar receitas acessórias, alugando suas antenas, dentro das luminárias, para as operadoras de telefonia móvel. Além disso, com a integração das antenas 5G às luminárias inteligentes, as cidades poderão criar sua própria infraestrutura de redes 5G e ainda oferecer conectividade rápida para a população.

Além de Curitiba, também vão participar do projeto piloto Ceará-Mirim (RN), Petrolina (PE), Araguaína (TO) e Jaraguá do Sul (SC). O Conecta 5G terá a duração de 36 meses e recursos da ordem de R$ 10,3 milhões, sendo R$ 10 milhões da ABDI e o restante de contrapartida dos municípios.

Transformação digital 

Cris Alessi prevê que, ao participar do Conecta 5G, Curitiba irá dar um salto ainda maior no processo de transformação digital do município e do setor produtivo, já iniciado há quase cinco anos com iniciativas do Vale do Pinhão, o movimento que une a Prefeitura e todo o ecossistema de inovação no desenvolvimento de soluções inovadoras para todos os curitibanos.

“As redes de quinta geração são apontadas como uma infraestrutura com potencial de revolução, tanto para a indústria 4.0 quanto para o processo de adoção de novos serviços de cidades inteligentes. Por isso, a importância de Curitiba participar do Conecta 5G”, justifica a presidente da Agência Curitiba.

Cris lembra que, desde 2019, o município saiu na frente em relação as demais cidades do Brasil ao modernizar as leis que regulamentam a instalação de antenas de telefonia celular na cidade. “O Decreto nº 989, assinado na época pelo prefeito Rafael Greca, tornou menos burocrático o processo de instalação desses equipamentos, facilitando agora a implantação da tecnologia 5G”, conta ela.

De acordo com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, iniciativas como o Conecta 5G vão ajudar a antecipar a implantação da quinta geração das redes móveis no país, pois as cidades que iam receber o 5G em 2027 ou 2028 poderão se antecipar e adquirir as luminárias inteligentes com as antenas.  “A gente está pronto para uma revolução. É muito emocionante para mim saber que nos proximos meses a gente vai ter o 5G funcionando. É nossa missão deixar o Brasil conectado”, afirma ele. 

O presidente da ABDI, Igor Calvet, frisa que o Conecta 5G está alinhado à missão da agência brasileira de democratizar inovações que produzam resultados cada vez melhores para a população. “É com essa ideia do ineditismo e da inovação que estamos trazendo a possibilidade de que os municípios brasileiros possam acelerar a difusão de tecnologias através da iluminação pública. A luminária pode, além de iluminar, trazer melhor segurança pública também conectividade às pessoas e, sobretudo, às empresas”, salienta. 

Calvet explica ainda que Curitiba foi escolhida para representar capitais e cidades grandes brasileiras no projeto-piloto por ser destaque mundial quando o assunto é governança, inovação e tecnologia. “A parceria com uma cidade tão madura como Curitiba vai realmente fomentar o desenvolvimento de novos serviços para os cidadãos e para as empresas”, completa.

Tecnologia

Desenvolvida pelas empresas Nokia e Juganu exclusivamente para ser testada no projeto Conecta 5G, a luminária inteligente contém uma antena 5G embutida e utiliza a tecnologia de chipset da empresa Qualcomm.

A internet 5G utiliza ondas (faixas) milimétricas de alta frequência e, por isso, exige mais receptores e repetidores de sinal para transpor obstáculos fixos, como torres e edifícios. Portanto, a implementação da quinta geração de rede móvel prevê a construção de novas bases de conexão.

Os testes do projeto-piloto serão realizados em várias faixas da tecnologia 5G, como as de 27.5 e 27.9 GHz (gigahertz) que serão avaliadas em Curitiba, mais próximas da necessidade do setor produtivo. “Com isso, estaremos testando a solução para as redes que beneficiam em especial a indústria 4.0”, afirmou Cris Alessi.

A Prefeitura de Curitiba, a Agência Curitiba, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e a Secretaria Municipal de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação ainda estão definindo os locais, como ruas e outros espaços públicos, onde será instada a tecnologia das antenas 5G integradas a luminárias inteligentes. Os testes devem começar na capital ainda no primeiro trimestre de 2022. 

Curitiba e outras grandes cidades brasileiras têm prioridade na instalação da infraestrutura 5G pelas operadas de telefonia, que deve ocorrer até março de 2022. Pelas regras definidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço 5G das teles começará até julho do próximo ano nas capitais. Depois, as operadoras partirão para cidades com mais de 500 mil habitantes e, na sequência, para as cidades menores.

Sandbox

Curitiba e a ABDI já têm outras parcerias para o desenvolvimento de projetos inovadores de Cidades Inteligentes no município. Uma cooperação entre a Prefeitura, a Agência Curitiba e a ABDI vai viabilizar a replicação de projetos e programas da entidade voltados à inovação. Além disso, a capital paranaense usou o guia de boas práticas e a consultoria técnica da ABDI para desenvolver o decreto que instituiu o Programa Sandbox Curitiba. 

O sandbox é um ambiente delimitado por lei municipal para servir de local de experimentação e validação de tecnologias de cidades inteligentes. É uma área sobre a qual a regulamentação é mínima, o que contribui para a atração de empresas de base tecnológica interessadas em um ambiente onde possam testar suas tecnologias.

No caso de Curitiba, não haverá uma região específica onde as tecnologias serão testadas. 

O futuro com a tecnologia 5G

Uma internet mais rápida e com menor latência. Assim costuma ser explicado o 5G, mas a tecnologia trará muitos outros benefícios para a população e as empresas:

  • Conexões muito mais rápidas: a quinta geração das redes móveis poderá ter downloads de até 20 Gb/s (gigabits por segundo). A velocidade vai ser tão impressionante ao ponto da pessoa baixar um filme em uma plataforma de streaming em dois ou três segundos”.
  • Baixa latência garantirá comunicação em tempo real: a rede 5G também possibilitará comunicações sem atraso. Um neurocirurgião que está em Curitiba, por exemplo, poderá realizar uma operação em tempo real em um paciente nos EUA.
  • Tudo estará conectado: a tecnologia viabilizará a implementação da Internet das Coisas (IoT),  que permite a conexão de dispositivos à internet em todo o mundo.  Assim, do trabalho será possível acionar a cafeteira em casa.
  • Cidades inteligentes: combinada a tecnologias, como big data, inteligência artificial e IoT, a nova geração de internet também tornará viável mais serviços de cidades inteligentes, como semáforos inteligentes, que poderão controlar melhor o fluxo de carros e pedestres e reduzir os congestionamentos nas grandes cidades.
  • Indústria 4.0: a maior conectividade e o menor tempo de resposta com o 5G vão permitir o uso de máquinas inteligentes e a comunicação em tempo real entre diferentes equipamentos, atraavés do IoT. A tecnologia vaI revolucionar a indústria em todos os campos (manufatura automatizada, agricultura de precisão e transportes), inclusive permitindo uma cadeia totalmente inteligente e integrada, com maior eficiência, agilidade e, consequentemente, menores custos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS