156 Acesso àInformação

Programas em ação

Programas em ação

De desburocratização a Fundo de Aval, Curitiba apoia empreendedor

O apoio aos empreendedores e empresas é um dos pilares do Plano de Retomada Econômica de Curitiba, lançado pelo prefeito Rafael Greca no ano passado. Iniciativas do município e parceiros, como abertura mais fácil de empresas, acesso a linhas de crédito com o Fundo de Aval de Curitiba e apoio educacional para gestão inovadora e […]

compartilhe
A curitibana Aline Inocênio Folador, 30 anos, formalizou o seu ecommerce de moda praia e teve o alvará on-line liberado pela Prefeitura em menos de dois dias. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

O apoio aos empreendedores e empresas é um dos pilares do Plano de Retomada Econômica de Curitiba, lançado pelo prefeito Rafael Greca no ano passado. Iniciativas do município e parceiros, como abertura mais fácil de empresas, acesso a linhas de crédito com o Fundo de Aval de Curitiba e apoio educacional para gestão inovadora e transformação digital, têm ajudado a melhorar o ambiente de negócios da capital para o pós-pandemia. Todas as informações para ter acesso estão reunidas no portal Retomada Curitiba.

O primeiro passo para ter acesso a benefícios do município é procurar os Espaços Empreendedor da Prefeitura (confira no link como agendar).  Apenas no primeiro semestre deste ano, 51.968 atendimentos presenciais e on-line foram realizados pelas nove unidades da Prefeitura, localizadas nas Ruas da Cidadania (confira os locais). As equipes estão ajudando os empreendedores a abrir seu próprio negócio, a inovar e a enfrentar os desafios da crise causada pelo novo coronavírus.

Cada um dos Espaços Empreendedor conta com seu Balcão de Negócios, que oferece uma consultoria completa para quem quer se tornar um microempreendedor individual (MEI) ou crescer, mas ainda não tem acesso a crédito ou presença digital forte. As unidades são vinculadas à Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação.

Nos Espaços Empreendedor, os curitibanos podem formalizar atividades, obter informações sobre o Fundo de Aval de Curitiba e linhas de financiamento de instituições parceiras, fazer a declaração anual e tirar dúvidas contábeis (como débitos em aberto e formas de quitação). Além disso, o empreendedor é encaminhado para consultorias com especialistas do Sebrae/PR, parceiro da Prefeitura nas ações de fortalecimento da economia nos bairros, e obtém informações sobre a programação de capacitações do Vale do Pinhão.

LEIA MAIS

O mestre de obras Antônio Damácio Filho, 58 anos, procurou o Espaço Empreendedor do Boqueirão no mês passado para abrir seu MEI e saiu de lá com todas as informações sobre linhas de crédito, Fundo de Aval e os cursos de capacitação do Vale do Pinhão. “Fui muito bem atendimento. Tudo foi muito rápido e, se quiser, já posso até emitir nota fiscal. Além disso, eles me explicaram que posso fazer cursos de graça e também se precisar tenho como pegar empréstimo com apoio da Prefeitura”, disse ele.

Menos burocracia

Quem chega a um Espaço Empreendedor já recebe a boa notícia de que na cidade abrir uma empresa está ainda mais fácil e rápido. Curitiba é a capital com maior número de atividades incluídas na Lei de Liberdade Econômica, que dispensa alvarás e licenças para abertura de empresas. A cidade tem 527 atividades enquadradas na lei, mais que o dobro da média do Paraná (254).

A ampliação das atividades dispensadas de alvarás e licenças ocorreu em 2020 e é uma das medidas adotadas pela Prefeitura para a retomada da economia e para minimizar os impactos da pandemia.

Ao incluir mais atividades na Lei de Liberdade Econômica, Curitiba beneficiou, principalmente, os MEIs atendidos nos Espaços Empreendedor. Os microempreendedores individuais representaram 70% das aberturas de empresas de janeiro a maio de 2021 na capital. Nessa lista estão comércios de armarinhos, vestuário, cama, mesa e banho, calçados, atividades paisagísticas e confecções, por exemplo.

“A burocracia é um dos principais motivos de desistência do empreendedor em abrir um negócio, mas com o processo mais simplificado e ágil adotado pelo município, Curitiba está ajudando a impulsionar o empreendedorismo e também uma retomada mais rápida da economia”, avalia Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba.

A dispensa de alvarás e licenças torna o processo de abertura de empresas mais rápido. Curitiba foi a capital com terceiro menor tempo de abertura de empresas no país, com apenas 29 horas (1 dia e 5 horas) no primeiro quadrimestre de 2021. Em relação ao primeiro quadrimestre de 2020, a capital reduziu em 16 horas o tempo de abertura de empresas.

Mesmo os empreendedores que precisam de alvará têm menos burocracia graças integração promovida pelo município para agilizar a emissão on-line. No portal de Serviços da Prefeitura é feito desde o cadastramento da solicitação, anexação de documentos, do projeto em formato digital, emissão de taxas até o recebimento do alvará e do projeto aprovado, já com a integração dos dados entre as secretarias municipais do Urbanismo, Meio Ambiente, Obras Públicas, Ippuc e Setran.

A curitibana Aline Inocênio Folador, 30 anos, abriu em março o ecommerce Lloret, de moda praia e pijamas. Segunda ela, a formalização da empresa e a liberação do alvará foram muitos rápidas. “Em menos de dois dias, já estava com tudo finalizado. O processo é muito rápido, sem burocracia”, conta a empreendedora que em agosto lançou sua loja virtual, que já está comercializando a coleção verão 2021-2022. Biquines e pijamas também estão à venda através das redes sociais da Lloret (@lloret.co).

Mais crédito

Os Espaços Empreendedor também são a porta de entrada para quem precisa de empréstimo a juros baixos para capital de giro ou ampliar o negócio, mas não tem garantia, um dos maiores obstáculos na obtenção de crédito quando a pessoa não tem bens. Com taxas a partir de 0,59%, os financiamentos estão sendo liberados de forma mais rápida e fácil graças ao Fundo de Aval de Curitiba, outra iniciativa da Prefeitura que integra o Plano de Retomada Econômica.

Funcionando como uma espécie de “avalista” do empréstimo, o Fundo de Aval da Prefeitura dá aos empreendedores da capital acesso a empréstimos de instituições financeiras parceiras, com taxas muito atraentes.

Os empréstimos, com o Fundo de Aval de Curitiba, variam de R$ 5 mil a R$ 150 mil.

A Prefeitura aportou, no ano passado, R$ 10 milhões na Garantisul, Sociedade de Garantia de Crédito (SGC), contratada pela Agência Curitiba, para emitir cartas de aval para empréstimos junto a cooperativas de crédito parceiras (Coopesf, Sicoob, Sicredi, Fomento Paraná, Credisol e Viacredi).

Os recursos estão chegando às mãos de donos de negócios de variados setores, como salões de beleza, petshops, comércios de máquinas, cafeterias, confeitarias, açougues, restaurantes e autopeças, e podem viabilizar até R$ 100 milhões em financiamentos.

O casal de empreendedores Jéssica Helena Sottili e Eder Viana Cardoso criou há cinco anos um e-commerce de sapatos femininos. No fim de 2019, eles resolveram ampliar o negócio e abrir loja física Helena Cardoso Sapatos e Acesssórios na Avenida Erasto Gaertner, no Bacacheri.

Tudo ia muito bem até o avanço da pandemia da covid-19, no ano passado. Foram meses sofrendo para equilibrar as contas e manter o espaço físico aberto. “Mas aí soubemos do Fundo de Aval da Prefeitura e conseguimos recursos para capital de giro, renovar o estoque e hoje já estamos vendendo também roupas”, comemora Jéssica.

Capacitações e Worktiba

Quem sonha em abrir ou ampliar um negócio em Curitiba também pode ingressar em programas gratuitos da Prefeitura como Bom NegócioEmpreendedora Curitibana e Worktiba, os primeiros coworkings públicos do país, além de participar de eventos do Vale do Pinhão (confira no portal). São capacitações em gestão empresarial do município voltadas ao fomento da inovação em áreas como gestão, finanças, inovação, marketing digital e ecommerce.

Os programas preparam os empreendedores de Curitiba para adotar uma nova cultura de negócios, com uso da tecnologia como aliada do crescimento, a adoção de gestões mais modernas, o compartilhamento de ideias e a aposta na economia criativa e colaborativa como estratégia de desenvolvimento.

Em janeiro deste ano, a startup curitibana Okaut  ingressou no Worktiba Barigui, um dos três coworkings públicos gratuitos do município. “Entramos no Worktiba para termos mais conexões dentro do ecossistema do Vale do Pinhão. Sabemos que só vamos crescer com mais parcerias, dividindo experiências e conhecendo pessoas que têm habilidades que podem ser complementares a nossa”, conta Yara Lúcia de Menezes Garcia, uma das sócias da startup que oferece um aplicativo com vários serviços customizados para MEIs, como controle financeiro, cadastro digital de clientes e vitrine virtual

Atualmente, 51 startups e empreendedores estão nos Worktibas Barigui, Cine Passeio e Boqueirão.

Mas faltava maior experiência em vendas para a equipe da Okaut conquistar novos clientes para o serviço. “Foi aí que resolvi me inscrever no Bom Negócio”, lembra Yara, que se formou em junho na Rota 3 do primeiro semestre do programa da Prefeitura, última etapa da capacitação em gestão empresarial voltada ao fomento à inovação.

Segundo a empreendedora, o curso a ajudou a aprofundar seus conhecimentos de gestão financeira e também a trabalhar novas estratégias de prospecção ativa de clientes para o aplicativo. “Hoje, temos 342 MEIs cadastrados nos nossos serviços on-line”, conta Yara, que tem como sócios Cleber Lecheta  Franchini e Dongley Martins.

Dar acesso aos chamados empregos do futuro também integra o Plano de Retomada Econômica. Por isso, este ano já está ocorrendo uma nova turma do programa 1º Empregotech, que oferece gratuitamente o curso básico de programação de computadores para jovens entre 16 e 29 anos. Em seu terceiro ano, o 1º Empregotecho é um parceria da Fundação de Ação Social (FAS), Agência Curitiba e Assespro/PR.

Confira outras iniciativas de apoio aos empreendedores do Plano de Retomada Econômica de Curitiba:

Refic-covid

Refinanciamento com abatimento de até 100% dos juros e multas para pagamento de dívidas de IPTU, ISS, Taxa de Coleta de Lixo e outros débitos. 22 mil acordos firmados, no maior programa de refinanciamento de Curitiba.

Impostos prorrogados

Prorrogação do prazo de vencimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) para empresas do Simples e MEIs. Benefício para 181 mil empresas e MEIs. Impacto de R$ 80 milhões.

Apoio aos artesãos e feirantes

A Prefeitura construiu as plataformas digitais para que artesãos da Feira do Largo da Ordem e comerciantes das feiras livres  continuassem a vender seus produtos durante as restrições da pandemia. Empreendedores curitibanos também ganharam lojas virtuais através de parcerias da Prefeitura e Agência Curitiba com as startups Olist e Ebanx.

Compre no bairro

Incentivo à população a comprar no comércio local próximo a suas residências, com criação de campanha institucional, capacitações em parceria com Sebrae/PR nas Ruas da Cidadania e portal com material de marketing para os empreendedores baixarem.

Apoio a artistas e à cultura

R$ 33 milhões durante a pandemia em editais do Mecenato, do Fundo Municipal e os editais emergenciais FCC Digital.

NOTÍCIAS RELACIONADAS