156 Acesso àInformação

Startups

Startups

Favo Tecnologia é a grande vencedora da 2ª edição do Pitch Live Vale do Pinhão

A startup curitibana Favo Tecnologia é a grande vencedora da 2ª edição do Pitch Live Internacionalização, promovido pelo Vale do Pinhão.  A empresa agora poderá fazer o processo de internacionalização e receber investimento pelo Grupo COREangels Atlantic de Portugal. O resultado final da competição foi divulgado na noite de quinta-feira (17/12), durante o evento on-line Business […]

compartilhe
A startup curitibana Favo Tecnologia é a grande vencedora da 2ª edição do Pitch Live Internacionalização, promovido pelo Vale do Pinhão.

A startup curitibana Favo Tecnologia é a grande vencedora da 2ª edição do Pitch Live Internacionalização, promovido pelo Vale do Pinhão.  A empresa agora poderá fazer o processo de internacionalização e receber investimento pelo Grupo COREangels Atlantic de Portugal. O resultado final da competição foi divulgado na noite de quinta-feira (17/12), durante o evento on-line Business Round de Final de Ano, transmitido pelo Canal do Vale do Pinhão no YouTube.

O Busines Round, é um evento realizado todos os meses, pelo Vale do Pinhão, para promover bate-papo e conexões. Conta com a participação de investidores, pesquisadores, empresários e representantes do poder público para a discussão de temas ligados à tecnologia e inovação.

Tecnologia para a agricultura

Focada no desenvolvimento de produtos e serviços inteligentes para a prática da agricultura urbana doméstica em pequena escala, a Favo Tecnologia desenvolveu um sistema completo de automação para cultivo protegido em meio urbano e periurbano. A tecnologia oferece eficiência através de tecnologia mobile, internet das coisas e processamento em nuvem.

O aplicativo pode, em média, aumentar em 20% a produtividade dos clientes, com irrigação automatizada e sensoriamento do local de cultivo, beneficiando especialmente pequenos e médios produtores para a produção 4.0.

A empresa, que já tem alcance em todo o Brasil, agora vai se internacionalizar no mercado europeu a partir do apoio da COREangels Atlantic, de Portugal.

“O Pitch Live foi uma oportunidade incrível para a Favo”, disse Marcelo Pinhel, CEO da Favo.

Além de nos colocar em um processo de internacionalização, nos deu a oportunidade de apresentar nosso negócio para vários fundos de investimento, além do COREangels Atlantic, do Brasil. Foi muito corrido, mas com certeza valeu a pena”, completou Pinhel.

Ao todo 24 empresas curitibanas participaram da disputa e cinco estavam classificadas para a grande final.  Nobis Services, Crowd Voice, Favo Tecnologia, St-One e Litive se apresentaram  no último dia 14 de dezembro para uma seleta formação de banca de jurados e para o grupo de investidores COREangels Atlantic, de Portugal.

As cinco empresas que participaram  da Pitch Live, além da visibilidade para todo ecossistema, ainda ganharam mentorias, consultorias e bibliografias oferecidas pela banca de jurados.

A presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Cris Alessi, fez questão de parabenizar as participantes que fazem parte do principal ecossistema de inovação do país.

“O evento finalizou o processo de seleção e mostrou o quanto as startups de Curitiba e do Paraná estão preparadas para alcançar o mercado internacional”,  disse Alessi.

Ela destacou os desempenhos das vencedoras Nobis Services, por ter sido a escolhida por votação popular, e à ST-One, pelo destaque na banca avaliadora da Pitch Live, além da  grande vencedora Favo Tecnologia, escolhida no processo de seleção da COREangels Atlantic. Também fez um agradecimento especial aos investidores e parceiros.

 “É sempre gratificante quando o ecossistema de inovação se une para apoiar os empreendedores. Essa é a essência do Vale do Pinhão”, completou Cris Alessi.

Premiação tripla

Outras duas startups também foram premiadas: a ST-One recebeu o prêmio Destaque VP,  uma Menção Honrosa oferecida pelos jurados. Já a Startup Nobis Services foi a mais popular em uma votação pública, feita pela coleta de votos em formulário digital do Pitch Live.

“Para nós da ST-One participar do Pitch Live foi a oportunidade de mostrar para todo o ecossistema de Inovação de Curitiba os produtos que estamos desenvolvendo aqui e que estamos levando para indústrias do Brasil e do mundo”, comentou Tiago Machado, da ST-One

Emocionada Claudia Coser, da Nobis Services, agradeceu a escolha popular que elegeu a Nobis com mais de 67% dos votos populares. “Para mim, a Nobis Services estar entre as classificadas do concurso para internacionalização dá sinais claros de que o Vale do Pinhão está cada vez mais ativo e potente para impulsionar a inovação”, disse Claudia.

Segundo a empreendedora, a Nobis ter sido classificada e receber Menção Honrosa do Público, foi resultado do apoio recebido pela Prefeitura de Curitiba, por meio do Vale do Pinhão.  “Aponta que o ecossistema do Vale do Pinhão reconhece e dá visibilidade a startup de impacto sustentável com potencial de escalabilidade e projeção internacional. Estamos entusiasmados com tudo o que há de vir e ser em 2021.” completou a CEO da Nobis Services.

Prontas para internacionalizar

A empresas foram avaliadas de acordo com o conteúdo e desempenho do pitch, considerando também os elementos básicos de busca do grupo internacional de investidores. A empresa para ser escolhida teve que apresentar um produto com base digital e escalável, ter mais de 12 meses faturando e estar disposta a se internacionalizar para a Europa a partir de Portugal.

União de forças

A disputa teve o apoio do Governo do Paraná por meio da Superintendência Geral de Inovação. “Curitiba tem sua força e o Paraná tem bom empreendedores, há muita coisa acontecendo no estado por isso temos sempre que unir as forças para o mercado da inovação evoluir”, disse Henrique Domakoski, da superintendência Geral de Inovação do Paraná.

O investidor Maurizio Calcopietro, da COREangels Atlantic, destacou a importância da sinergia estabelecida entre Curitiba e Portugal, no processo de aceleração de startups.  “Estão de parabéns os empreendedores do Brasil, que é um país continental, e às vezes não tem a tendência de internacionalizar. Mas vocês estão muito bem preparados e têm muitas vantagens para começar esse processo a partir de Portugal”, disse Calcopietro

Para se classificar a empresa precisava ter produto digital, escalável, ser formalizada e estar faturando há mais de 12 meses, além de possuir em seus planos a internacionalização do negócio.

Banca avaliadora

A banca avaliadora foi formada por jurados investidores e técnicos. No primeiro grupo participaram Maurizio Calcopietro e João Guetter (COREangels Atlantic), Mario Delara (Caravela Capital), Carolina Strobel (Redpoint eventures), André Pamplona (Platta Investimentos), Marcelo Woloski (Invisto), Rodrigo Alvarenga (Hag Ventures), Michel Medeiros, da Goventures, Cibelle Higino (Honey Island Capital).

Também fizeram parte da bancada de investidores Marcelo Rosa, Reinaldo Izzo e Thiago Vieira, todos do grupo português COREangels Atlantic.

O júri técnico teve a participação de Vivian Escorsin (Sebrae-PR ), Rodrigo Olmedo (uGlobally) e de Carlos Vargas (Business School da Universidade Positivo) do grupo português COREangels Atlantic.

O júri técnico teve a participação de Vivian Escorsin (Sebrae-PR ), Rodrigo Olmedo (uGlobally) e de Carlos Vargas, da  Business School da Universidade Positivo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS