156 Acesso àInformação

Startups

Startups

Mesmo com a pandemia, cresce o número de startups de Curitiba

Mesmo com as dificuldades econômicas impostas pela pandemia, o Vale do Pinhão teve um crescimento de 8,77% na abertura de novas startups entre 2020 e 2021. É o que aponta o mapeamento Ecossistema de Startups Paranaenses 2021/2022, realizado, no ano passado, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Paraná (Sebrae Paraná). […]

compartilhe
Curitiba é a cidade do Paraná com maior número de startups, empresas de base tecnológica que mais crescem no mundo. – Na imagem, os fundadores da MadeiraMadeira Marcelo Scandian (esq.), Daniel Scandian e Robson Privado. Foto: Divulgação

Mesmo com as dificuldades econômicas impostas pela pandemia, o Vale do Pinhão teve um crescimento de 8,77% na abertura de novas startups entre 2020 e 2021. É o que aponta o mapeamento Ecossistema de Startups Paranaenses 2021/2022, realizado, no ano passado, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Paraná (Sebrae Paraná).

O estudo mostra que, em 2020, Curitiba tinha 422 empresas de base tecnológica e o número saltou para 459 startups no fim de 2021. Em todo o Paraná, o levantamento aponta que eram 1.956 startups até o ano passado.

O levantamento revela ainda que, entre todas as cidades do Paraná, Curitiba concentra 23,46% das startups em atuação no estado, liderando o ranking, em segmentos como finanças, varejo, indústria 4.0, tecnologia da informação, educação, construção, saúde e impacto social.

São empresas como Olist, MadeiraMadeira e Ebanx, os três unicórnios (denominação dada às empresas de tecnologia avaliadas em US$ 1 bilhão) de Curitiba, bem como Contabilizei, Hilab, Checkmob, Juno, Bcredi, Favo, Anthor, FullDNA, Beetools e James Delivery.

Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, avalia que o crescimento no número de startups e a liderança da capital em empresas de base tecnológica se deve ao ambiente favorável à inovação criado, nos últimos cinco anos, com o Vale do Pinhão.

“Desde 2017, o ecossistema de inovação de Curitiba, formado pela Prefeitura, universidades, empreendedores, hubs de inovação, fundos de investimento, aceleradoras e instituições como Sebrae, ACP e Fiep, se uniu no movimento Vale do Pinhão para promover ações de crescimento sustentável da economia da capital”, justifica.

Entre ações municipais desenvolvidas para incentivar o crescimento de startups na capital estão a redução do tempo de abertura das empresas, que era de dois meses até 2016 e passou para 21 horas em 2021; a inauguração de três Worktibas, coworkings gratuitos da Prefeitura; e a retomada de programas como o Tecnoparque, de redução de 5% para 2% do ISS para startups que investem em tecnologia e inovação, e de capacitação como o Bom Negócio e o Empreendedora Curitibana.

Somente a retomada do programa Tecnoparque, em 2018, garantiu nos últimos três anos R$ 210 milhões em investimentos para empresas e startups beneficiadas, como MadeiraMadeira, Olist, Contabilizei, Anthor, Checkmob e James Delivery.

Além disso, Cris lembra que o trabalho conjunto do poder público e de todo o ecossistema do Vale do Pinhão tem ajudado no crescimento econômico da capital, mesmo com a pandemia.

A Prefeitura, por exemplo, aprovou um Fundo Garantidor de R$ 10 milhões, gerido pelo Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, que pode alavancar até R$ 100 milhões em empréstimos, para garantir operações de crédito, facilitando o acesso ao crédito para os empreendedores. O município também prorrogou o prazo de pagamento de impostos e promoveu um programa de refinanciamento, o Refic-Covid-19, que permitiu o parcelamento de débitos.

A presidente da Agência Curitiba pondera que o sucesso de uma startup vem com o tempo, a continuidade, a melhoria de um projeto relevante e muito trabalho. “A solução pensada por uma startup precisa resolver um problema. No final das contas, é sempre sobre pessoas. Também é preciso dedicar atenção especial para buscar e motivar sócios e parceiros de negócio, times e clientes. Eles são o maior ativo e ajudarão a alcançar o sucesso se comungarem do seu propósito”, aconselha Cris.

Levantamento

Em sua oitava edição, o mapeamento Ecossistema de Startups Paranaenses 2022 do Sebrae Paraná foi realizado a partir de pesquisa aplicada às startups do estado, entre 15 de novembro e 15 de dezembro de 2021. Para o número total, foram consideradas 1.139 startups que já estavam ativas, após análise do estudo anterior, mais 817 respostas de novas startups.

“O Sebrae se dedica ao desenvolvimento das startups no estado, onde acompanhamos a evolução, atuamos para diminuir gargalos e fortalecer o ecossistema que impacta na criação e promoção de negócios inovadores. Especialmente, neste ano em que comemoramos 50 anos, queremos fomentar esse movimento junto dos nossos parceiros e empreendedores para destacar ainda mais o Paraná neste setor”, pontua Julio Cezar Agostini, diretor de Operações do Sebrae Paraná.

Dez cidades com mais startups no Paraná

  1. Curitiba – 459 startups
  2. Londrina – 252 startups
  3. Maringá – 178 startups
  4. Cascavel – 157 startups
  5. Pato Branco – 129 startups
  6. Ponta Grossa – 81 startups
  7. Foz do Iguaçu – 66 startups
  8. Campo Mourão – 63 startups
  9. Francisco Beltrão – 51 startups
  10. Toledo – 47 startups

NOTÍCIAS RELACIONADAS