156 Acesso àInformação

Eventos

Eventos

Paiol Digital aborda reinvenção e inovação focadas em pessoas

A edição de agosto do Paiol Digital, na noite desta terça-feira (31/8), destacou histórias de reinvenção de startups além da tecnologia, focadas em ações para as pessoas. E que esse olhar pode ser aplicado com sucesso em áreas distintas, desde uma floricultura que entendeu que entrega emoção, passando por uma empresa que vendia acesso à academias […]

compartilhe
A edição de agosto do Paiol Digital, na noite de31/8, destacou histórias de reinvenção de startups focadas em ações para as pessoas.

A edição de agosto do Paiol Digital, na noite desta terça-feira (31/8), destacou histórias de reinvenção de startups além da tecnologia, focadas em ações para as pessoas. E que esse olhar pode ser aplicado com sucesso em áreas distintas, desde uma floricultura que entendeu que entrega emoção, passando por uma empresa que vendia acesso à academias e agora oferta bem-estar, até a startup que percebeu que o crescimento só viria com colabores satisfeitos.

A head da startup paulista Gympass, Priscilla Siqueira, abriu a noite e contou como a startup paulista não só driblou a pandemia, mas reinventou por completo, transformando-se em uma empresa de bem-estar digital ao entender que é preciso entregar ao usuário mais que atividade física.

Se até 2019, quando se tornou um dos unicórnios brasileiros (startups avaliadas em U$ 1 bilhão ou mais), a startup oferecia acesso a 55 mil academias e estúdios, com o início da pandemia a Gympass viu-se sem produto para oferecer.

“Foi então que trouxemos o aplicativo Gympass, com personal trainer, aula digital, palestras, em parceria com vários aplicativos de bem-estar e atividade física, criando uma frente em que estamos presentes em todos os nichos do bem-estar para as pessoas”, explica Priscilla.

Com a reinvenção, a startup ganhou novos parceiros e confirmou sua impressão de que, com o novo coronavírus, as pessoas iriam querer se cuidar mais: a empresa um aumento em 40% na procura pelos serviços.

Para falar das flores

Já o diretor-geral da Esalflores, Bruno Esperança, mostrou a transformação da empresa curitibana que nasceu há 25 anos e há tempos não é uma floricultura tradicional. Com o entendimento de que era preciso pensar grande mesmo ainda sendo pequena, a Esal tornou-se a maior rede de floriculturas do brasil e criou a startup Esallabs, braço de inovação da empresa que desenvolveu um hub de tecnologia para o negócio chegar ao maior numero de lugares possíveis.

“Começamos como uma empresa familiar e hoje somos um grupo atuando em diversos seguimentos relacionados à natureza e ao bem-estar. Isso aconteceu a partir do momento em que entendemos nosso papel: não entregamos flores, mas sim transportamos emoções”, disse Esperança.

Com essa mentalidade de entregar a melhor experiência, vieram sucessivas inovações, desde a instalação de uma central telefônica de atendimento nos anos 1990, a criação da Flower Machine em 2015 (máquina de venda avulso de flores, presente em vários pontos estratégicos do país, como aeroportos), a aposta no “urban jungle” (incentivar a ornamentação dos ambientes, aproximando-os da natureza), além de novas tecnologias para o e-commerce e ser a primeira empresa do país a aceitar pagamentos via Pix.

Cultura empresarial

O evento contou ainda com a psicóloga Niane Gonçalves, head de Recursos Humanos da Solvis, startup curitibana de pesquisa multicanal de satisfação do consumidor.

A especialista também destacou mudanças na empresa a partir do olhar humanizado e do alinhamento da cultura empresarial para fidelizar colaboradores, resultando em crescimento para o negócio.

“Somos especializados em pensar a experiência do cliente e era essencial também pensar na satisfação do colaborador. Investimos na implantação da cultura da empresa, que une pessoas, dando voz participativa a cada um da equipe nessa construção”, disse Niane. 

Em um ano, o processo de implantação de uma cultura com critérios claros já tem bons resultados: na avaliação para a certificação do GTPW, instituição que rankeia as melhores empresas para trabalhar, a nota em satisfação dos colaboradores subiu de 72 para 99.

Com mediação da presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Cris Alessi, o Paiol Digital desta terça-feira foi transmitido ao vivo do Teatro do Paiol pelo YouTube do Vale do Pinhão, sem presença de público, por causa da pandemia.

“Essas histórias nos contam que, por mais que estejamos vivendo coisas ruins não, há de ter mudanças que impactem positivamente. São histórias de empresas altamente tecnológicas, inovadoras, que se reinventam e esse é um grande ponto do nosso ecossistema”, destacou Cris. 

Promovido pela Prefeitura e Agência Curitiba, o Paiol Digital tem apoio da Fundação Cultural de Curitiba.

NOTÍCIAS RELACIONADAS