156 Acesso àInformação

Eventos

Eventos

Plano de Retomada Econômica leva Curitiba à final de premiação mundial de cidades inteligentes

O Plano de Retomada Econômica – conjunto de medidas para acelerar a recuperação da cidade após a fase mais aguda da pandemia – garantiu a Curitiba a terceira indicação para final do World Smart City Awards, maior premiação de cidades inteligentes do mundo. Em 2021, a capital paranaense é finalista na categoria “Prêmio de Inovação de […]

compartilhe
Vale do Pinhão. Foto: Cesar Brustolin/SMCS

O Plano de Retomada Econômica – conjunto de medidas para acelerar a recuperação da cidade após a fase mais aguda da pandemia – garantiu a Curitiba a terceira indicação para final do World Smart City Awards, maior premiação de cidades inteligentes do mundo.

Em 2021, a capital paranaense é finalista na categoria “Prêmio de Inovação de Recuperação”, que excepcionalmente vai reconhecer iniciativas relacionadas à covid-19.

Em 2018, Curitiba foi finalista do World Smart City Awards com seu Programa de Agricultura Urbana, na categoria Ambiente Urbano, e, em 2019, com o Vale do Pinhão, o ecossistema de inovação da capital, na categoria City Award (Prêmio Cidade).

O World Smart City Awards premia projetos pioneiros, ideias e estratégias que promovam o desenvolvimento urbano em todo o mundo e transformem as cidades em lugares mais sustentáveis e inclusivos para se viver. Em 2021, cidades de 46 países se inscreveram para concorrer a premiação de cidades inteligentes.

Segundo a organização do World Smart City Awards, o Plano de Retomada Econômica de Curitiba está entre os finalistas de 2021 por contribuir para o sucesso da transformação, adaptação ou resposta da cidade à pandemia da covid-19 e a outros desafios que possam ocorrer no futuro.

Na categoria, Curitiba concorre com Londres (Reino Unido), Manizales (Colômbia), Santiago (Chile), Wuhan (China) e WeavAir, empresa de Toronto (Canadá).

Resultado

Os vencedores das sete categorias da premiação serão anunciados em cerimônia, no dia 17 de novembro, em Barcelona (Espanha), durante o Smart City Expo World Congress, o fórum internacional mais importante sobre cidades inteligentes, que irá ocorrer de 16 a 18 de novembro.

Segundo o prefeito Rafael Greca, ser finalista do prêmio é o reconhecimento do grande esforço do município e do ecossistema de inovação do Vale do Pinhão, com interlocução da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, para apoiar economicamente tanto trabalhadores quanto empresas e empreendedores.

“Temos muito o que comemorar, pois a cidade mais empreendedora do Brasil é mais forte que as dificuldades. Com o Plano de Retomada, Curitiba já bateu este ano o recorde na geração de empregos. Foram 38.979 vagas com carteira assinada de janeiro a setembro deste ano, o maior volume dos últimos 18 anos”, reforça o prefeito.

Greca lembra também que a cidade está superando os desafios impostos pela covid-19 em várias frentes. “Com o SUS Curitibano, não faltaram leitos para os pacientes no auge dos casos de covid-19 e vacinamos com duas doses mais de 66% da população”, diz Greca.

“Reforçamos nossa rede de proteção social, com o Mesa Solidária, o Auxílio Alimentar de Curitiba e a ampliação da estrutura de acolhimento da população em risco social. Já com o Plano de Retomada Econômica, lançado no segundo semestre de 2020, estamos dando suporte econômico, garantido fluxo de caixa para o dia a dia das empresas, postos de trabalho e acesso a recursos para novos investimentos”, completa o prefeito.

Mobilização do ecossistema

A presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi, destaca que o sucesso do Plano de Retomada da Economia de Curitiba se deve, em grande parte, ao trabalho conjunto da Prefeitura e do ecossistema do Vale do Pinhão para apoiar a recuperação e aceleração econômica da cidade neste período de crise. “Desde o início da pandemia, o Vale do Pinhão se mobilizou para implementar uma diversidade de soluções para oferecer aos empreendedores e empresas acesso a financiamentos e capacitações para transformação digital”, frisa ela.

Cris lembra também que, em Curitiba, a suspensão das atividades, como medida de enfrentamento a covid-19, teve um forte efeito nos negócios que não tinham respaldo financeiro ou não utilizavam ferramentas virtuais para seus negócios. “Diante disso, a Prefeitura mobilizou o ecossistema para ajudar a população, no período de crise, a implementar soluções de apoio aos empresários da cidade”, reforça.

A Prefeitura e a Agência Curitiba, por meio do Vale do Pinhão, fomentaram diversas iniciativas, trabalhando em estreita colaboração com diversos públicos. Por meio de uma chamada pública, lançada em 2020, a Prefeitura fez parceria com startups e empresas locais para oferecer soluções que apoiem as atividades econômicas e ajudem na transformação digital dos negócios. A parceria com a startup Olist ajudou os empresários, feirantes e artesãos a criar uma feira virtual, onde os empreendedores pudessem expor seus produtos e vender diretamente aos clientes.

Outras empresas ofereceram uma diversidade de soluções gratuitas: serviços de entrega; uma plataforma para conectar tecnologia, profissionais e serviços jurídicos; assistência financeira e pagamentos on-line. No total, participaram 15 empresas e startups oferecendo soluções para os empreendedores. A Prefeitura e a Agência de Curitiba relançaram a chamada pública em junho de 2021.

Para ajudar os empresários com dificuldades financeiras e barreiras de acesso ao crédito bancário, a Prefeitura aprovou um Fundo Garantidor de R$ 10 milhões, que pode alavancar até R$ 100 milhões em empréstimos, para garantir operações de crédito, facilitando o acesso ao crédito para os empreendedores. É um fundo que pode ser acessado em instituições financeiras cadastradas, credenciadas pela Sociedade Garantidora de Crédito (SGC – Garantisul), com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/PR).

“O Fundo de Aval tem facilitado o acesso ao crédito por parte dos empresários locais com dificuldade em apresentar garantias ao solicitar um empréstimo a instituições financeiras”, observa a presidente da Agência Curitiba.

O município, por meio da parceria do Instituto Municipal de Turismo e do Sebrae/PR, com o apoio da Agência Curitiba, ainda está auxiliando as micro e pequenas empresas do setor de turismo. Empresários do setor podem acessar consultorias para alavancar vendas, melhorar a gestão, entrar no mercado online e repensar o modelo de negócios.

Além disso, a Agência Curitiba manteve uma programação de treinamentos online gratuitos, apoiando a transformação digital dos negócios.

Plano de Retomada

O Plano de Retomada Econômica de Curitiba contempla outras ações para dar suporte à geração de emprego e renda, com apoio tanto para trabalhadores quanto para empreendedores.

Os Liceus de Ofício, da Fundação de Ação Social (FAS), promovem cursos e preparam para o mercado de trabalho quem está em busca de qualificação. Os Espaços do Empreendedor da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação dão suporte a microempresários e microempreendedores individuais (MEIs) através de programas como Bom Negócio, Empreendedora Curitibana e os Worktibas, os primeiros coworkings públicos do país. Já o 1º Empregotech, parceria da Agência Curitiba e FAS, está ofertando cursos gratuitos de programação para jovens a partir dos 16 anos.

O número de atividades incluídas na Lei de Liberdade Econômica foi ampliado. A lei prevê a dispensa de alguns alvarás para atividades de baixo risco, facilitando o processo de abertura de empresas e reduzindo a burocracia. No ano passado, o número de atividades abrangidas pela lei passou de 242 para 545 na capital.

O município também prorrogou o prazo de pagamento de impostos e promoveu um programa de refinanciamento, o Refic-Covid-19, que permitiu o parcelamento de débitos em até 36 meses. A Prefeitura também vem dando apoio ao setor de eventos, com a utilização de R$ 2,7 milhões para projetos desse segmento e moratória de dívidas, até o fim do ano.

Além disso, R$ 33 milhões foram destinados ao apoio a artistas e à cultura, durante a pandemia, em editais do Mecenato, do Fundo Municipal e emergenciais FCC Digital; e, nos próximos cinco anos, cerca de 113,7 mil empregos (diretos, indiretos e induzidos) estão sendo criados com obras públicas, que somam mais de R$ 2 bilhões em investimentos da Prefeitura.

NOTÍCIAS RELACIONADAS