156 Acesso àInformação

Programas em ação

Programas em ação

Primeira do país, Fazenda Urbana do Cajuru será inaugurada em junho

Curitiba ganha, até a primeira quinzena de junho, a primeira Fazenda Urbana do Brasil. As obras finais no espaço de 4.435m² da Prefeitura, ao lado do Mercado Regional do Cajuru, estão em ritmo acelerado. Nesta terça-feira (28/4), o prefeito Rafael Greca visitou o local que irá reunir os mais modernos métodos de plantio de alimentos […]

compartilhe
Obras da Fazenda Urbana, no Cajuru. Curitiba, 28/04/2020. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Curitiba ganha, até a primeira quinzena de junho, a primeira Fazenda Urbana do Brasil. As obras finais no espaço de 4.435m² da Prefeitura, ao lado do Mercado Regional do Cajuru, estão em ritmo acelerado. Nesta terça-feira (28/4), o prefeito Rafael Greca visitou o local que irá reunir os mais modernos métodos de plantio de alimentos saudáveis, sem agrotóxico.

A Fazenda Urbana será administrada pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional.

“Consola o meu coração de prefeito ver o nascimento da Fazenda Urbana do Cajuru. De temperos a legumes e verduras, teremos canteiros para todas as estações do ano”, destacou Greca.

Ele estava acompanhado do secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, e do secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues.

Além das hortas comunitárias, inclusive com inéditas estruturas suspensas para que cadeirantes possam participar do plantio, o complexo está recebendo composteiras, estufas de mudas, caixas do projeto Jardins de Mel, com abelhas nativas sem ferrão, e espaços para a criação de pequenos animais. Boa parte das estruturas, muitas em conteineres, já está concluída. 

As equipes da Secretaria Municipal de Obras Públicas finalizam o restaurante-escola e o banco de alimentos, além do espaço para eventos e treinamento.

Ciclo do alimento

De acordo com Gusi, a Fazenda Urbana é um projeto que visa divulgar as práticas e técnicas da agricultura urbana e organização comunitária com base no ciclo do alimento. Com esse projeto, a Prefeitura pretende capacitar as pessoas para a produção do próprio alimento fora das áreas rurais, ou seja, em suas casas e em vazios urbanos. 

“Além dos alimentos convencionais, as hortas terão as plantas alimentícias não convencionais (Pancs) e os canteiros estão sendo feitos com materiais recicláveis, tais como garrafas pet, telhas, dormentes, blocos de concreto, forros PVC e pallets”, acrescenta o secretário. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS