156 Acesso àInformação

Eventos

Eventos

TJPR cria Ateliê de Inovação para acelerar processos e propor avanços à Justiça

O impacto da pandemia da covid-19 no avanço tecnológico do Poder Judiciário pode ser medido pela velocidade com que o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) teve que se adaptar à necessidade de distanciamento social.  Em 48 horas, todo o sistema judicial do Estado precisou estar adaptado ao trabalho remoto. “Felizmente, já tínhamos a estrutura […]

compartilhe

O impacto da pandemia da covid-19 no avanço tecnológico do Poder Judiciário pode ser medido pela velocidade com que o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) teve que se adaptar à necessidade de distanciamento social.  Em 48 horas, todo o sistema judicial do Estado precisou estar adaptado ao trabalho remoto.

“Felizmente, já tínhamos a estrutura preparada para atuar de forma virtual”, lembrou o presidente do TJPR, desembargador José Laurindo de Souza Netto, na live “Transformação Digital no Direito”, nesta segunda-feira (19/4).

Agora, a Justiça do Paraná entrará em um novo patamar de modernização com a criação o Ateliê de Inovação, um laboratório capaz de detectar problemáticas e apontar soluções para diversas áreas da instituição. 

“No Ateliê de Inovação haverá uma sala para treinamentos e outra denominada Sprint, que contará com equipe multidisciplinar para a criação de soluções de problemáticas e de celeridade dos processos, bem como onde serão desenvolvidos os relatórios analíticos para a apresentação dos resultados deste núcleo de inteligência”, antecipou o presidente da TJPR.

Souza Netto ressaltou ainda que a transformação digital para Justiça 4.0 no Paraná tem a missão de ampliar a Justiça para a cidadania.

“A inovação precisa melhorar a eficiência do Poder Judiciário, com o olhar voltado para o ser humano e o interesse da administração pública”, justificou o presidente do TJPR.

Com mediação de Frederico Augusto Munhoz da Rocha Lacerda, diretor Jurídico da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, o debate on-line Transformação Digital no Direito também teve a participação da advogada Aline Macohin, doutoranda e membro da Comissão de Inovação OAB/PR; e de Gisele Ueno, fundadora das startups Hi-Law e Brainlaw.

De acordo com Lacerda, as lawtechs e legaltechs, startups de tecnologia cujo produto é aplicado diretamente no setor jurídico, estão contribuindo para agilizar e otimizar o trabalho realizado no setor.

“Essas empresas estão ajudando a aumentar a  produtividade e eliminar gargalos que levam à acumulação de processos em tramitação”, salientou o diretor da Agência Curitiba.

Programação

Promovido pela Agência Curitiba e Prefeitura, as lives do Vale do Pinhão são gratuitas e podem ser acompanhadas nas plataformas do ecossistema.

Nesta terça-feira (20/4), às 19h, ocorre a edição de abril do Business Round, que terá como tema “Formação e Capacitação”. O evento on-line irá reunir Hendel Favarin, CEO da Escola Conquer; Daniel Kriger, CEO da Kenzie Academy; e Stephan Younes, professor e CEO da Slash Education/PUCPR e Grupo A. O debate poderá ser acompanhado pelo Youtube.

Na sexta-feira (23/4), às 15h, ocorre o debate “Lei Geral de Proteção de Dados na Prática”. A live terá a participação de Julieine Nascimento, sócia-fundadora do escritório FN Advogados; e Line Meireles, gerente de projetos internacionais da Startups Hub.

As especialistas vão explicar as exigências da LGPD, que entrou em vigor em 2020, e compartilhar ferramentas para que o empreendedor possa adequar sua empresa à lei de uma maneira prática e simplificada. O bate-papo poderá ser acompanhado pelo Youtube  e Facebook do Vale do Pinhão.

NOTÍCIAS RELACIONADAS